Qual é realmente a remuneração de freelancers?

Qual é realmente a remuneração de freelancers?

“Qual a remuneração de freelancers?” Esta é uma pergunta que certamente passa pela cabeça de muitos profissionais que pretendem trabalhar como freelas. É uma questão justa, tendo em conta que os ganhos financeiros são sempre um fator a ter em conta na hora de escolher a carreira profissional. Porém, esta é uma resposta muito difícil de ser encontrada, visto que o freelancer pode trabalhar em inúmeras áreas e como é óbvio, algumas são mais rentáveis do que outras.

Para ter uma ideia dos valores é necessário pesquisar por infográficos e análises estatísticas realizadas por outros sites. Mas essa pesquisa torna-se um pouco mais complexa pelo fato de estarmos falando no mercado de língua portuguesa, onde o número de estudos é ainda mais reduzido ou até praticamente nulo.

O trabalho de freelancer é muitas vezes visto como algo precário, que é uma opção em caso de desemprego ou até mesmo que não é um trabalho para toda a vida. No entanto, essa opinião tem vindo a mudar durante os últimos anos e o estudo mais recente que comprova isso mesmo foi realizado pelo site Freelancer.com. Só durante os últimos oito meses, o Brasil movimentou através daquele site mais de US$ 1 milhão.

Posição do país em remuneração de freelancers

O país está no 20º lugar mundial no ranking de usuários da rede e é líder na América Latina. Ao todo, 5.700 mil companhias brasileiras contratam pessoas através da plataforma. Entre os países que mais contratam brasileiros estão os Estados Unidos (42,18%), Reino Unido (9,34%), Canadá (5,19%), Austrália (3,96%) e Brasil (3,91%). Mais de 20 mil projetos foram entregues pelos freelancers nacionais. As categorias mais comuns são as de trabalhos que envolvem as linguagens de programação e design de sites.

Tendo em conta a boa representação do Brasil no cenário mundial – uma representação que deverá subir nos próximos anos – é de considerar a profissão de freelancer como algo bem mais rentável a longo prazo do que é atualmente. Mas quanto isso representa em remuneração de freelancers?

Sabendo que encontrar valores em português era algo muito difícil, temos algumas das principais referências de estudos ingleses para poder dar uma noção de quanto se recebe por trabalhar em determinadas áreas na língua inglesa. Vejamos:

  • Estudo publicado no Facebook da Escola Freelancer: Partilhei com os leitores da Escola Freelancer no início do mês de abril uma imagem que representava os valores ganhos por ano pelos designers gráficos em vários países. Como seria de esperar, Brasil e Portugal ficarem de fora. Suíça (US$ 96 mil), Austrália (US$ 64 mil) e Espanha (US$ 59 mil) eram os mais bem pagos da lista.
  • Estudo realizado pelo Socialcast: Outro estudo muito interessante realizado pelo Socialcast demonstra bem os valores ganhos por hora pelos freelancers. Freelancers de softwares (US$ 73/hora), Fotógrafos (US$ 69/hora), Gestor de projetos  (US$ 58/rehora), Produção de vídeo  (US$ 52/hora), Programador (US$ 49/hora), Design gráfico  (US$ 49/hora), Ilustrador 3D  (US$ 48/hora), Web Designer  (US$ 46/hora), Escritor  (US$ 44/hora), Ilustrador  (US$ 41/hora) foram as profissões analisadas. Outros dados interessantes analisados foram os ganhos vs experiência do profissional. Segundo o mesmo estudo os profissionais com mais de cinco anos de trabalho tendem a ganhar entre 59 a 84 dólares por hora enquanto aqueles que têm menos de cinco anos de experiência recebem valores que rondam os 44 e os 49 dólares.
  • Crescimento do mercado: O site freelancer.com fez, há pouco tempo, um estudo muito interessante onde ele fala sobre o crescimento das várias profissões nos primeiros três meses de 2013.

Áreas de atuação

Quando normalmente me perguntam quanto um profissional pode ganhar eu respondo: depende. Em primeiro lugar, a remuneração de freelancers depende da sua qualidade, em segundo da forma como se posicionada no mercado e depois da forma como sabe lidar com clientes. Estes são, a meu ver, os três pilares. E claro, todos eles variam consoante a área de negócios.

Um redator freelancer não pode querer ganhar o mesmo que um programador de aplicativos para smartphones, por exemplo. Além disso, muitos freelas trabalham em part-time enquanto outros são trabalhadores autônomos a tempo inteiro, o que cria mais uma dificuldade na análise dos ganhos.

Cadastre-se agora mesmo no Marketing Profissional, um diretório online de profissionais gabaritados que procuram trabalhos freelancers. Conectamos você, profissional, a empresas que precisam de serviços. Ou você, contratante, a ótimos profissionais para realizar seus serviços. O cadastro é gratuito.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!